Poema inédito encontrado num velho arquivo

oração

vinde

gloriosa manhã de vida inesgotável

invadi a persiana em joias ovaladas de luz

expugnai-nos das muitas promessas traídas

varrei-nos já a amargura acumulada como pó

tão sólida que não alcança ao vento do sopro

removei-a de nossas peles ainda jovens

ao chegardes

trazei o frescor das folhas verdes do limão

clamor físico do meio-dia que nos guia ao amor

acariciados em tantas partes por vossas ramas

manhã e a fome saudável do almoço e seus tomates

subitamente mais vermelhos e tão mais doces

vinde

despida de vossos trajes domingueiros e azuis

vinde deitar-vos a nosso lado, mas depressa

abraçai-nos depressa com vossos pássaros

dai-nos todos os brindes antes da desilusão

fazei-nos arder nas veias os cristais frutuosos

das uvas resumidas de vossas melhores safras

apagai-nos

recolhei-nos

reconduzi-nos

amai-nos no centro de nossa obscura catedral

aqui resistiremos aos hereges da inevitável tarde

64 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Prévia do livro de 2019

não sem louvor em tudo que odiamos há um pouco de nós no viscoso vínculo espicaçante e sensual nos dedos a dobrar a esquina sem a sorte dos preceitos edificantes e das sabedorias raras coisas são mais

na sala de montagem

tudo começa pela edição cortamos a cena um escondemos o coadjuvante a trama não deve contemplá-lo saltamos para a cena dois pouco antes do diálogo significativo logo a inserção do contraplano revelará

© 2020 por Tainá Henn

Escritor Pedro Gonzaga

Rua Dr. Possidônio da Cunha, 309 Vila Assunção, Porto Alegre

(51) 99805-6864 ou pg.escreva@gmail.com